Seja bem-vindo ao DeDentroPraFora. Aqui falamos da Metafísica atual e de como ela pode contribuir para que sintamos mais prazer em viver. :) :) :)



Artigos






Feliz Natal! - segunda chance

Ana Maria Prandato - 29/12/2001


Feliz Natal!!!

Mais um Natal passou, o que pode significar estados de espírito bem diferentes para cada pessoa. Realização para alguns, alívio para outros, frustração para muitos...

Como foi o seu Natal? Foi bom? Ou não foi tão bom quanto você desejava? Como você sonhou que ele deveria ser? Que atitudes de outras pessoas você incluiu no seu sonho? Como ele poderia ter sido, naquilo que dependesse exclusivamente de você?

Se continuamos alimentando sonhos de como as coisas deveriam ser, é bem provável que não tenhamos muitos motivos para estarmos felizes agora. Da mesma forma, se a nossa felicidade continua dependendo de atitudes dos outros, já deu pra perceber que não vai ser tão fácil, não é? Até porque, nisso de "dependermos de atitudes dos outros" pra sermos felizes, além de tudo é comum não nos contentarmos com qualquer atitude favorável, de qualquer pessoa. Nem notamos, nem valorizamos, nem levamos em conta... Não nos deixamos tocar. Afinal, estamos descontentes com a maneira de ser "daquelas" pessoas, eleitas por nós para serem nossos provedores de satisfações ou de tormentos. Aquelas... que continuarão sendo exatamente como são, dependendo apenas do ângulo que quisermos vê-las...

Assim também são as situações da vida. Há coisas boas acontecendo a cada segundo, mas muitas vezes deixamos de festejá-las, de nos alegrarmos com elas, por escolhermos manter o coração em estado de tristeza por aquilo que aconteceu de triste. Ajuda?

Bem, seja qual for o motivo, se pra você ficou a sensação de que não houve Natal neste ano, ainda há outra chance.

Você pode começar descartando as convenções - elas não serão necessárias. Pode reconhecer com clareza tudo o que foi sonho, idealização; tudo o que envolveu expectativas sobre o comportamento de outras pessoas - e esquecer isso também - são só fantasias que não ajudam em nada. Concentre-se em você, nos seus sentimentos. Se existirem reservas quanto à exploração comercial dessa data, ou quanto ao direcionamento religioso*, considere a possibilidade de ver o Natal simplesmente como uma ocasião que pode inspirar sentimentos bons e agradáveis. Permita-se a alegria.

Se o seu coração continuar "apertado", procure ver o que é que está machucando lá dentro... Geralmente são mágoas, ressentimentos - fatos e pessoas que nos negamos a perdoar. Mas dói, não dói? Amarga a vida, estraga o prazer. É como engolir cápsulas de veneno que vão se dissolvendo lentamente, dia após dia... Será que vale a pena?

Ótimo! Perdoe! Liberte-se desse peso inútil e pernicioso. Deixe o passado passar. O que aconteceu, já aconteceu - não há mais nada a fazer. Vá aprendendo, daqui pra frente, como atrair circunstâncias mais felizes; vá vendo como você é responsável pelo seu destino, mas faça isso com a alegria de quem, enfim, se liberta. Talvez o "espírito do Natal" exista mesmo, e seja tão somente uma manifestação da nossa alma, desejosa de que aproveitemos esta oportunidade para fazermos as pazes com as demais criaturas, com a vida e conosco, principalmente.

Será que ainda falta alguma coisa? Ah, sim! Presentes!!! Natal combina com presentes, não é? Que tal darmos mais carinho, sem tantas condições? Nem custa tanto assim... Também podemos trocar os julgamentos, as críticas, as alfinetadas, a "cara fechada" - tudo já tão velho e batido - por uma convivência pacífica, onde haja boa-vontade e respeito, onde as coisas necessárias sejam ditas com franqueza, sem guerrinhas de melindres ou picuinhas, sem nada "por baixo do pano"... Que tal? Não são ótimos presentes para as pessoas? E para a vida, em vez da costumeira desconfiança, poderíamos dar "passe livre", permitindo que ela flua por nós com as suas atualizações e novidades... Puxa! Seria um presente e tanto! O melhor de tudo é que esses "presentes" são daquele tipo que permite a quem dá desfrutar junto com quem recebe (quando você era criança, alguma vez você deu uma caixa dos seus bombons preferidos pra sua mãe, mal podendo esperar a hora de saboreá-los? - com ela, é claro! ...então, é assim... :) Mas, além disso, o que ganhamos? Provavelmente, a paz.

E assim, celebre o seu Natal, do seu jeito. Se quiser, e se for possível, inclua nele as pessoas queridas - e novas pessoas também, por que não? Um abraço, um beijo, inesperados; o primeiro passo para um entendimento; telefonemas, e-mails!!!; um bilhetinho debaixo do travesseiro - não importa como, compartilhe, se isso lhe der prazer.

É possível que, mesmo estando sozinho, você descubra nesta sua celebração um significado maior do que em muitos natais anteriores, experimentando uma comunhão bem mais verdadeira consigo mesmo e com os outros, junto a um sentimento gostoso de estar intensamente vivo... Feliz Natal!





* Aos leitores que se interessarem pela "Mensagem do Cristo", sem as diversas conotações religiosas, recomendamos a bela página "Jesus", por Carlos Antonio Fragoso Guimarães (clique aqui).. Para voltar ao DeDentroPraFora, clique em Back/Voltar no seu navegador.




Comente este artigo Fale conosco

Sugira um tema



Quer enviar esta página
para um amigo?
Clique aqui!